segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Reconheça; Ele não está tão a fim de você !!!!

Tá legal, eu admito, sou fã de comédias românticas, eu sei, eu sei, algumas delas são óbvias demais, mais um pouco de fantasia não faz mal a ninguém. Vamos combinar, cara leitora, pelo menos nos filmes, nós mulheres temos que se dar bem, senão cadê a esperança da humanidade?!

Sou uma espectadora compulsiva de comédias românticas (será que existe algum tipo de grupo de auto-ajuda para isso, do tipo, Alcoólicos Anônimos?). O último bom filme que assisti chama-se “Ele não está tão a fim de você”, acredito que muitos de vocês devem ter visto no cinema ou no recente lançamento em DVD. Baseado num livro de auto-ajuda (não, deste mal não padeço) “Ele simplesmente não está tão a fim de você” de Liz Tuccillo e Greg Behrnedethdos, roteiristas da série “Sex and the City”, é um filme sem romances óbvios com cenas de final feliz, embora, o final seja no estilo happy end. O interessante do filme é que ele próprio desconstroi outras comédias românticas onde tudo sempre dá certo, não espere isso, nem tudo dá certo, quando ele não está tão a fim de você.

A mensagem mais legal do filme é que você não deve ser iludir, se ele não te liga, não te encontra por causa de sua agenda lotada de compromissos, está fazendo bodas de noivado, não se separa da mulher porque ela tem um grave problema de saúde, não fala com você no MSN ou orkut, ou qualquer outra mídia eletrônica que servem só para você levar mais um fora, reconheça; ele não estão tão a fim de você. Não minta, cara leitora, por mais emancipadas que somos temos uma tendência a fantasiar e acreditar que no fundo, mais bem lá no fundo, ele está querendo disfarçar que não tem interesse, pois tem medo de relacionamentos sérios. Quando ele está realmente a fim de você, pode cair uma bomba atômica no estilo Hiroshima e Nagasaki que o “dito cujo” vai arrumar um jeito de vocês ficarem juntos...

Quanto estamos envolvidas em relacionamentos incertos, fracassados, platônicos ou simplesmente impossíveis, às vezes pensamos que aquele fora direito ou indireto que levamos não quer dizer realmente isso. Ficamos horas alugando os ouvidos de nossas amigas, jogando tarô, fazendo mapas astrais, lendo horóscopo de nossos pretendentes para tentar descobrir o que realmente ele quis dizer quando disse que você era boa demais para ele (ops!) ou quando gosta muito de sua amizade e tem medo de perdê-la, ou ainda, quando nunca atende seus telefonemas, ou te chama de fofa. Viramos verdadeiras detetives de segundas palavras ou intenções; “não na verdade ele está escondendo os sentimentos”, “homens às vezes tem dificuldade de expressar seus sentimentos”, “ele falou isso, mas na verdade queria dizer aquilo, está confuso”, besteira!!!! Os homens não são crianças, alguns sabem bem o que querem e conseguem se expressar, o fora é só um fora, não tem segundas, terceiras ou quartas intenções, o recado é claro, cara leitora, ele não está tão a fim de você.

Nesta altura do campeonato, algumas de vocês, devem estar pensando; “ela só está falando isso porque é uma mal amada!” “na teoria é fácil perceber, mas na prática...” “na verdade ela não acredita no amor, é uma pessimista”, “coitada, sofreu uma desilusão e está jogando a raiva para o mundo, ou melhor, para o blog”, podem até jogar pedras, realmente algumas destas afirmações podem até estar corretas, afinal, não sou uma espectadora de comédias românticas à toa. Mas, algumas das coisas que eu disse acima fazem algum sentido. O que eu estou querendo dizer de forma bem humorada ou não, é que temos acordar para realidade e não perder tempo com quem não está tão a fim de você. Uma vez, uma amiga me disse “enquanto não encontramos o cara certo nós divertimos com os errados”, então se você sabe que ele não está a fim de você logo de cara, pelo menos se divirta, sem falsas ilusões. Temos que buscar nosso final feliz, seja ele qual for, sozinha, acompanhada, mal acompanhada, nos divertimos com os caras errados, ou simplesmente nos divertimos, mas, atenção, cuidado, tente ser um pouco realista e perceba quando ele não está tão a fim de você. Não perca sua esperança, como diz o filme, se liberte de quem não está tão a fim de você!

Ps: Caros leitores, não se sintam desprestigiados porque meu texto fez referência a caras leitoras. Sendo homens ou mulheres sempre encontramos pessoas que não estão tão a fim de nós, faz parte da vida, então, por favor, podem postar também os seus comentários. Caso você seja um felizardo que não tenho encontrado este tipo de pessoa, então vale a pena, nunca é demais conhecer o universo feminino.

Mariana

video

6 comentários:

  1. Ainnn, adoro esse filme, adoro comédia romântica e concordo com o que você escreveu! Adoramos nos iludir! Parece até uma característica feminina...
    ____________________

    *Ah, claro que isso não é uma regra. Existem aqueles seres superrrr equilibrados emocionalmente que sabem (e assumem isso) quando um "você é boa demais para mim" ou "não quero te magoar" significa um simples e prático "não to a fim". Pena que esses seres são fabricados em edições limitadas e seus dons não são transmitidos por osmose...

    ResponderExcluir
  2. Olá.

    Eu diria que tendemos mais a fantasiar com uma pessoa que não nos quer e demonstra isso quando achamos que "precisamos" dessa, em particular, e não de uma outra. Em geral, porque nos convencemos de que só ela existe, só ela nos preenche, ou, nos casos piores, de que, se não for ela, não conseguiremos nenhuma outra porque somos incapazes. No fundo, não é o outro que está em jogo, é nossa relação com nós mesmos.

    O mundo seria muito melhor se cada um buscasse não usar coisas externas -- beleza, riqueza, até amores -- para tapar os buracos negros da própria alma. Mas é algo que exige muita reflexão, coragem e tempo.

    um abraço,
    R.

    ResponderExcluir
  3. Eu ia postar um comentário besteirol, mas fiquei até sem graça para fazer isso, depois de ler o comentário acima com toda essa carga de profundidade... Detesto ter que confessar assim de cara, sem nenhum tipo de protesto ou charminho antes, mas concordo completamente com o Rodrigo no que tange as pessoas buscarem se preencher umas com as outras para sanarem seus vazios.

    Tem uma anedota engraçada sobre isso - um cara se perdeu na floresta, e passava os dias buscando alguém que o pudesse ajudar a sair dali. Um belo dia, ele viu por entre as matas uma outra pessoa passando e foi até ela se sentindo aliviado porque o outro o tiraria dali e ele poderia ter uma boa vida de novo. Quando ele se aproximou, a outra pessoa deu graças a Deus por ter encontrado alguém por ali, pois ele também estava perdido há meses procurando alguém que o salvasse. No fim, ficaram dois perdidos caminhando juntos sem rumo.

    Tá, não é uma história engraçada... se bem, que eu acho que eu é que não sei contar direito, mas enfim, a moral é que na vida a gente teima em fazer a mesma coisa e muitas vezes encontramos gente tão perdida quanto a gente e projetamos no outro todas as expectativas de uma vida feliz para nós.

    Por isso, dói tanto quando a gente percebe que "ele não está tão a fim da gente assim", porque a gente, em geral, tá buscando alguém que nos tire da nossa floresta...

    Mulheres então, querem alguém que as tire da floresta e de preferência que seja bonitão e venha num cavalo branco...

    ResponderExcluir
  4. Bem, assim como minha amiga Mari, sou fã de carteirinha de comédias românticas. Quando vi anunciar esse filme achei que seria um filme até meio piegas, com desenlace repetido... Mas, me surpreendi a história é bem contada e alguns pontos me chamaram atenção.

    A personagem principal está a procura - desesperadamente - de um amor e daí sai a caça constantemente. Mas acaba sempre encontrando os mesmos tipos de homens (os que não estão afim dela!). Pois é, será que nós, homens e mulheres, já paramos para pensar que muitas vezes acabamos atraindo os mesmos "tipos" de parceiros. Quem nunca viu uma mulher se lamentar porque só encontra cafajestes? Ou então porque só se relaciona com caras comprometidos? Mas onde reside o problema? Nas outras pessoas ou em nós? Porque não refletirmos sobre o tipo de pessoa que estamos buscando e atraindo, na maioria dos casos é nossa postura e procura que está errada. Muitas vezes, inconscientemente, acabamos até buscamos relações e pessoas impossíveis, como uma espécie de fuga... E se não ficarmos atentos a isso, vamos vivendo num eterno replay...

    Minha opinião sobre o assunto, pode ser um pouco machista até, mas defendo a idéia de que se um homem está a fim de você, ELE vai te procurar... Não estou dizendo que as mulheres não podem procurar, partir para a conquista, só condeno os exageros. Acho que os homens gostam daquilo que é um pouco mais difícil... a conquista, nada melhor que poder conquistar alguém... E o filme nos mostra exatamente isso, se ele está afim de você, ele vai atrás de você!!!

    ResponderExcluir
  5. Queridos:
    Are, é bom saber que eu não estou sozinha no mundo, existem outras pessoas compulsivas por comédias românticas.... acho que já dá para montar um grupo de auto-ajuda com a Bele.

    Rodrigo, faço minhas as palavras da Jacque, infelizmente você está correto de novo, ponto para você (não se acostuma não!). Acho que por trás de busca por um relacionamento que já começa fracassado está também a baixa estima das pessoas, às vezes ficamos escondidos em relacionamentos impossíveis para fugir dos possíveis.

    Jacque, nossa Saramago de plantão, adorei sua alegoria da floresta. Concordo, acho que em termos de relacionamentos estamos quase sempre perdidos, procurando algum príncipe encantado que nos salve... só tem que tomar cuidado para ele não virar um sapo!!! Essa visão salvacionista dos homens é também histórica-cultural, somos criadas para acreditar nisso, é interessante que mesmo com revolução feminista continuamos reproduzindo alguns valores antiquados... é a síndrome da Cinderela...

    Bele, também acho que se realmente o homem quer ele vai atrás. Mas temos que tomar cuidado, outra comédia romântica que eu gostei muito “Casamento Grego” diz que o homem poder até ser a cabeça, mas a mulher é o pescoço, é ela que vira a cabeça para onde quiser. Devo também confessar que a minha personagem preferida é a Gigi, ela faz tudo errado, mas nunca perde as esperanças.... Acho que todas nós (eu me incluiu nisso) temos um pouco da Gigi.

    ResponderExcluir